Vídeo: Delegado Sidney Tenório fala sobre prisão de foragido em Pilar

Policiais civis prenderam, no fim da tarde desta terça-feira (22), na cidade de Pilar, um homem de 34 anos, suspeito de praticar o crime de homicídio qualificado no município de Ribas do Rio Pardo, no Estado do Mato Grosso do Sul.

O crime teve grande repercussão local, já que a vítima era portadora de necessidades especiais, sendo bastante conhecida na cidade.Segundo o delegado do Pilar, Sidney Tenório, há aproximadamente 10 dias, houve contato da Polícia Civil do Mato Grosso do Sul, com informações de que o foragido da Justiça daquele Estado havia fugido para a cidade alagoana.

Vídeo: Delegado Sidney Tenório

Desde então, foi iniciado toda uma investigação local, que terminou com a prisão do acusado de homicídio.

“As investigação da PC do MS revelam que, no dia 11 de outubro de 2021, por volta de 21h, em um bar no município de Ribas do Rio Pardo/MS, o acusado teria se envolvido em uma discussão com outro cliente do bar. Ele entrou em sua casa, que fica em frente ao estabelecimento, pegou uma faca e retornou ao local. Ele se aproximou de Claudinei Rosa da Silva, mais conhecido como Maninho, 47 anos, que estava sentado e, sem dizer nada, começou a atacá-lo com facadas”, explicou Sidney Tenório.Ainda de acordo com o inquérito policial da PC do MS, o homem atacado seria o “alvo errado”.

O suspeito na verdade havia discutido com outro homem, que havia ido ao banheiro, momento em que a vítima sentou na mesma cadeira, sendo atacada com as facadas logo em seguida.

A vítima ainda chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos. Já o autor do crime conseguiu fugir e teve a prisão preventiva decretada ao final das investigações.Com a prisão na cidade do Pilar, o acusado deverá ser transferido em breve para o Estado do Mato Grosso do Sul, onde vai responder ao processo por homicídio qualificado.

“Foi um trabalho importante que comprova a unidade das polícias civis em todo o país. Quem acha que praticando um crime em algum estado e fugindo para outro não será capturado, está enganado”, concluiu Sidney Tenório.