AL é o 10º estado do Brasil mais violento para população LGBTQIA+ em 2021

Foto: Divulgação / Professor José Acioli foi assassinado em setembro do ano passado

Dados colhidos e analisados pelo Grupo Gay da Bahia, relativos ao ano passado, apontam que Alagoas é um dos estados brasileiros com mais casos de violência letal homotransfóbica. É o décimo no país e o quarto no Nordeste. Foram treze assassinatos em 2021.

Na sequência, são considerados os mais violentos: São Paulo, Bahia, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná, Ceará, Pará, Pernambuco, Mato Grosso e Alagoas. “A capital mais insegura para LGBTQIAI+ em 2021 foi Salvador (12 mortes), seguido de São Paulo, com 10 ocorrências, Curitiba, Manaus e Rio de Janeiro, com sete (7) casos cada, Belém aparece com seis (6) casos e Recife com cinco (5), João Pessoa (4), Campo Grande, Cuiabá, Maceió e Natal (3) e Aracaju com dois casos”, informa trecho do relatório.

Em setembro de 2021, o professor José Acioli da Silva Filho, de 59 anos, foi morto após estrangulamento durante encontro com o acusado, em um crime premeditado. Detalhes do crime foram reforçados durante levantamento da entidade. “Nestas sangrentas e covardes execuções, 28% foram perpetradas com armas brancas (faca, facão, tesoura, enxada – chegando até a 95 facadas!), em seguida, 24% com armas de fogo, 21% de espancamento e estrangulamento, incluindo asfixia, tortura, atropelamento doloso.”