Três ou quatro deputados estaduais de AL não deverão ser candidatos à reeleição

A expectativa é de que a próxima eleição seja uma das mais concorridas disputas da história da Assembleia Legislativa de Alagoas, é o que analisa o jornalista Edivaldo Júnior. Com base no cenário atual, se espera que a maioria dos 27 deputados estaduais permaneçam na Casa para a próxima legislatura, após as eleições de 22.

No cenário de hoje apenas três ou quatro parlamentares não seriam candidatos à reeleição de estadual, afirma Edivaldo.

A situação mais definida é a do deputado estadual Olavo Calheiros (MDB), que não vai disputar a reeleição. A família escalou o ex-prefeito de Murici Remi Calheiros para tentar manter a vaga que hoje é do irmão.

Outro nome que se especula é o do deputado estadual Davi Davino Filho (PP). Com a boa votação que teve em Maceió nas eleições de 2020, o parlamentar vem sendo apontado como provável candidato a deputado federal em 22. Seu nome também é lembrado e aparece bem nas pesquisas para as majoritárias.

Se Davi não for para a reeleição, quem pode disputar vaga na Assembleia Legislativa é a mãe dele. Com forte atuação na área social, Rose Davino assumiu a coordenação do PP Mulher em Maceió e pode ser candidata a deputada estadual.

Jó Pereira também (MDB) não deve ir para a reeleição. Com a ajuda do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), a parlamentar trabalha para se viabilizar na disputa majoritária. E se de fato ela não for candidata, quem deve disputar vaga na Casa é seu irmão, o ex-prefeito de Junqueiro e atual secretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Fernando Pereira.

A situação mais indefinida é a do quarto nome que pode ficar fora da reeleição na Casa. Vai depender da desincompatibilização ou não de Renan Filho em abril do próximo ano. Em caso de afastamento, o governador tampão poderá ser Marcelo Victor ou outro deputado estadual do grupo do atual presidente do Legislativo. As opções se resumem, de fato, a dois ou três nomes.

Fora disso, os outros 23 deputados estaduais vão disputar a reeleição. E todos possuem chances de retornar ao mandato, explica o jornalista Edivaldo.

Com informações Blog do Edivaldo Júnior