Bolsonaro avalia reajuste linear de R$ 400 para servidores

O governo do presidente Jair Bolsonaro irá avaliar conceder um reajuste linear de R$ 400 para todos os servidores da União em 2022, após uma série de manifestações e paralisações.

O presidente havia prometido um aumento à Polícia Federal, à Polícia Rodoviária Federal e ao Departamento Penitenciário Nacional, e chegou a reservar R$ 1,9 bilhão no Orçamento deste ano para esse fim. Mas a promessa gerou insatisfação por parte das outras categorias do funcionalismo, que iniciaram protestos em todo o país.

Segundo esses interlocutores do Executivo, é um desejo de Bolsonaro conceder aumento para os servidores e a solução de um reajuste linear é bem-vista por auxiliares do presidente, já que acreditam ser necessário dar “boas notícias” em ano eleitoral.

Caso seja aprovado esse reajuste linear, os R$ 400 teriam um impacto de R$ 5 bilhões no Orçamento de 2022. Para organizar esse valor, será necessário fazer cortes em outras despesas. A avaliação no governo é de que o reajuste é expressivo para grande parte do funcionalismo, embora desagrade os servidores com salários mais altos. Vale destacar que, em alguns casos, o reajuste de R$ 400 é suficiente até mesmo para recompor a inflação de 2021 — de 10,06%.

De acordo com os interlocutores, o governo trabalha para anunciar uma decisão ainda em março. A lei eleitoral veda aumentos num prazo de 180 dias antes das eleições — que ocorrem em outubro. Ou seja, o reajuste tem que ser proposto até 2 de abril deste ano.